Redes criminosas internacionais usam Portugal para lavar dinheiro

Disponibilizado em 31/07/2020

Portugal entrou na rota de redes internacionais dedicadas à prática de burlas informáticas no estrangeiro. Desde janeiro, a Polícia Judiciária (PJ) detetou a movimentação de pelo menos 15 milhões de euros - o dobro da quantia interceptada em todo o ano passado, conta o “Jornal de Notícias” esta segunda-feira.

Estes redes atuam através da criação de empresas de fachada, que depois são utilizadas para lavar os lucros obtidos com os crimes.