O perfil de um bom profissional de PLD-FT

Saiba quais conhecimentos, competências e habilidades deve ter um bom profissional de PLD-FT

Disponibilizado em 21/09/2018


Série Profissional de PLD-FT: 01 - Conhecimentos que o mercado espera do profissional

 

O setor financeiro precisa lidar com os mais variados campos do saber. É necessário que uma instituição tenha um vasto conhecimento sobre sua área de atuação, sendo também imprescindível conhecer legislações que exigem novas maneiras de conduzir o negócio. É dentro deste cenário, tão segmentado, que o mercado deseja profissionais especializados, ainda mais quando se trata de prevenção à lavagem de dinheiro. Foi pensando em todas estas diversas exigências do mercado que elaboramos uma série, de quatro pílulas de conhecimento, traçando o perfil deste profissional, tendo como ponto de vista a legislação e as tarefas cotidianas; as competências; habilidades e o desenvolvimento contínuo. Entenda, em quatro etapas, as exigências do mercado sobre o profissional de PLD. 

  

O primeiro ponto que o profissional de PLD-FT precisa entender é que seu trabalho vai além das funções tradicionais de Compliance, pois a atividade contínua de monitoramentos de caráter preventivo requer conhecimentos técnicos específicos, que ultrapassam aquilo que se aprende em sala de aula, ou através da simples leitura de publicações técnicas. 

 

É dele a função de garantir que a organização alcance os seus resultados de forma sustentável, identificando e coibindo condutas oportunistas vinculadas aos crimes de lavagem de dinheiro e de financiamento ao terrorismo ou a qualquer outra infração penal. 

 

Conhecimentos:

 

Para que o seu trabalho seja desenvolvido de maneira eficaz, o profissional de PLD-FT precisa ter independência e autonomia institucional, além de não estar ligado, direta ou indiretamente, a nenhuma área de negócios ou de gestão de patrimônio de terceiros. 

 

Também é preciso estar por dentro das Recomendações do GAFI (Grupo de Ação Financeira Internacional), bem como das demais diretrizes internacionais emanadas por Wolfsberg Group, Comitê de Basileia e Egmont Group, entre outros. No âmbito nacional, é preciso ter profundo conhecimento das legislações e regulamentações de PLD-FT, com destaque para:

 

 Lei 9.613/98, de crimes de lavagem de dinheiro; 

 

 Lei 13.260/16, de combate ao terrorismo e seu financiamento; 

 

 Principais regulamentações do BACEN, CVM, SUSEP e COAF, entre outros reguladores; 

 

 Normativo SARB 11/2013, da Febraban; 

 

  Guia de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo no Mercado de Capitais Brasileiro, da Anbima; e 

 

 Guia de Boas Práticas para PLD, da Acrefi. 

 

De acordo com a Acrefi (Associação Nacional das Instituições de Crédito, Financiamento e Investimento), o grande desafio do profissional de PLD-FT é estabelecer a cultura de que a sua função extrapola o quesito da fiscalização, do cumprimento das normas e regulamentos e da detecção dos desvios de conformidade, pois, muitas vezes, este profissional se depara com gestores despreparados e com situações de conflitos de interesses que requerem um “forte equilíbrio emocional” para lidar com adversidades, sem colocar em risco a imagem e a reputação da instituição. Portanto, existem competências essenciais que este profissional deve ter, mas falaremos sobre isso no próximo capítulo desta série.