Uso de Inteligência Artificial e Aprendizado de Máquina

Disponibilizado em 23/09/2019


Uso de inteligência artificial e aprendizado de máquina: 01 - Transformações digitais

 

Conseguir analisar grandes volumes de dados em pouco tempo, ter informações relevantes para tomadas de decisões e conhecer cada vez mais os clientes. Esses são alguns dos benefícios do uso de sistemas de aprendizado de máquina e inteligência artificial. Não à toa, são temas cada vez mais recorrentes em congressos e palestras do mundo inteiro. 

Antônio Carlos Pina, diretor executivo de Tecnologia da Quod, diz que existem dois impactos positivos e imediatos para as instituições com o uso desses sistemas: "O primeiro é o aprendizado supervisionado, homem mais máquina. Ele permite usar o conhecimento adquirido pela instituição na confecção de modelos que podem ser aplicados em muito mais dados e em menor tempo, valorizando o trabalho dos profissionais, que deixam de executar atividades mecânicas para focar em inteligência". 

Já o segundo impacto, ele explica que é quando os algoritmos rodam em modo não supervisionado e conseguem encontrar correlações que não se conheciam anteriormente, trazendo novos insights aos profissionais. “A criação de clusters de comportamento é um bom exemplo dessa técnica não supervisionada”, fala.

Pina diz que a capacidade humana de correlação e compreensão é formidável e isso permite que profissionais com anos de experiência consigam apontar desvios de imediato em uma lista de cem transações: “Nosso maior desafio é quando essa lista chega a 1 milhão ou mais de transações. Só os algoritmos conseguem extrair correlações com esse volume”.

 

 

Transformações digitais

O diretor executivo explica que o setor bancário como um todo passa pelo mesmo processo de todas as empresas, o desafio da transformação digital. Há milhões de dados de todos os tipos e milhares de portas de acesso, como websites e aplicativos, acessadas por clientes virtuais. Segundo ele, todo esse oceano de informações digitais deve ser coletado, analisado e compreendido para que respostas adequadas sejam criadas. 

"Esse crescimento exponencial das informações dificulta a análise e esse fator, somado à maior sofisticação das técnicas de fraude e lavagem de dinheiro, torna cada vez mais difícil que os seres humanos realizem esse trabalho. Os fraudadores estão usando sistemas computacionais e algoritmos e, por isso, a defesa precisa ser com igual poder de fogo", fala Pina.

Ele afirma que uma das grandes capacidades da inteligência artificial é justamente detectar padrões que mudam, tanto as pequenas nuances quanto os chamados outliers: "Se o padrão de uso de uma pessoa é reconhecido, sua mudança será detectada muito rapidamente e pode ser comparada, inclusive, com outros padrões para tentar um atestado de normalidade ou um desvio. E tudo isso com alta velocidade e com inúmeras fontes de dados".